Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Resenha - Carrie, a estranha (Stephen King)

Ela é esquisita, controversa, religiosa e estranha. Ela é Carrie White.
O conto que foi dado como “descartado” por Stephen King e quase sumiu do mapa quando o escritor jogou os manuscritos originais da história no lixo tronou-se um aclamado livro pela crítica internacional. Sim! King praticamente apagaria da literatura a terrível história da adolescente perturbada que, ao mesmo tempo, tem de conviver com a mania religiosa da mãe e com todas as dificuldades da vida na Ewen High School.
Assim, o terror psicológico é formado quando King desenrola a história da garota e faz com que o leitor fique aturdido ao saber do perigo iminente que assola a cidade e todos ao redor de Carrie. Primeiramente, vem o fenômeno da telecinesia, ainda pouco estudado pela medicina, mas comprovadamente real pelos documentos que o autor usa para corroborar a história toda. Depois, temos a pressão da Mamãe para Carrie ser uma garota civilizada e religiosamente comedida, fazendo realmente de tudo para isso se concretizar; como um quartinho do castigo, com espelhos — muitos espelhos — e uma tortura com cenas bíblicas conflitantes. Tudo isso junto à fome, frio e sujeira, fazendo com que Carrieta comece a acumular sentimentos ruins acerca da mãe.
Na escola, a vida dela não é diferente, ainda mais sofrida. As transformações da puberdade chegam e ela não consegue lidar com tudo aquilo. Seus travesseirosimundos crescem e é algo que não dá para esconder, não dá para conter. Mamãe, é claro, esconde tudo da menina, que acaba ridicularizada pelas amigas de escola. Todavia, ainda há uma alma boa para ajudar a perturbada alma de Carrie, a jovem professora da escola que faz de tudo para inseri-la no mundo jovem.
Como já era de se prever, tudo desanda a partir daí e culmina em um final não muito agradável para a cidade. É uma tragédia a vida de Carrie.
Com relação às emoções e sensações apresentadas ao ler o livro, posso dizer que são as melhores. Já imaginava uma obra grandiosa de Stephen King, mas ele narra de tal forma que nos sentimos dentro da personagem, sofremos junto com Carrie, angariamos ódio da religião forçada, dos amigos malvados e da zombaria. Recluímo-nos junto a ela e nos isolamos em sua desgraça.
Carrie é mais uma vítima, e não somente uma autora: Tudo depende do ponto de vista.
A primeira obra (prima) de King deve realmente ser vangloriada pela genialidade e completude do texto e da narrativa, porém há muita expectativa em virtude dos três filmes já lançados e o livro acaba sendo menos do que o esperado. Todavia, continua sendo uma belíssima produção e que merece ser lida pelos amantes do mestre do terror.


Dados da obra

Nome:
Carrie, a estranha
Autor: Stephen King
ISBN: 9788573028249
Ano: 2001 / Páginas: 164
Idioma: português
Editora: Objetiva/Suma de Letras



NOTA : 4/5








O autor, Stephen King

resenha por André Luiz