Páginas

Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Por amor.

                                                                                                                "Há um buraco na minha alma. Eu posso sentir...Há um vazio no meu coraçãoVocê pode supri-lo?"






  Foi a última coisa que ele escreveu antes de se matar. Ninguém conseguia entender o porquê de um jovem de apenas 23 anos querer dar fim a própria vida. Os familiares choravam incontroláveis, principalmente seu irmão.


 -Temos que avisar a Amanda. Decerto esse texto era sobre ela.- Todos pararam por um segundo e o olharam.


 -Que Amanda?- Não reconheciam o nome, até mesmo porque não conheciam a moça.


 -Ela era namorada dele... pobrezinho - soluçou - meu querido irmão! - Uma das primas que ali estavam revirou os olhos e bufou.
 -Agora ele é querido...- Cochichou alto o suficiente para que ele pudesse ouvi-la. Agarrou-a pelo braço, tão forte que deixou as marcas de seus dedos na pele carmim.
 -Cala essa sua boca, vadia! - Soltou-a e retornou a chorar.


***
 -Senhora, não podemos deixa-la enterrar seu filho antes de averiguarmos o real motivo de sua morte. - Ela chorava tanto que teve de ser carregada pelo marido - Por favor, levem o corpo e deixemos a família viver seu luto em paz.
 - Valeu cara. - Apertaram as mãos firmemente.
 - De nada. - Consentiu com a cabeça.
 -Sou Pietro, a propósito. Sou irmão do presunto. - O policial levantou as sobrancelhas espantado com o sarcasmo.


 -Logo presumi. A semelhança é incrível!


 -As semelhanças se resumem à aparência, pode ter certeza,somos muito diferentes aqui. - disse tocando a cabeça com o dedo indicador. Virou-se de costas e foi embora, deixando o policial conversando sozinho.


***


 -Vanessa! - A menina pulou na cadeira - Chega mais.


 -Fala Pietro... o que você quer? - Cruzou os braços ao aproximar.
 -Oh, minha florzinha... - Afagou os longos cabelos loiros - Uma garota tão linda não deveria ser tão brava. - Um sorriso malicioso escapou dos lábios pintados de rosa. - Eu preciso de um favor.
 -Me conta uma novidade... - Revirou os olhos e bufou  - É só pra isso que eu sirvo, não é?
 -Claro que não! - Pegou-a num abraço de urso - Além de ser minha priminha mais linda... - Tentou pensar em algo para dizer aqueles olhos esperançosos que o fitavam - Você sabe que eu te amo, certo? - Ela sorriu. Deram um breve beijo - Preciso que você ligue para esse número e conte sobre a inesperada morte do Bruno.
 -Mas com quem vou falar?
 -Amanda.


***
 -Alô?