Páginas

Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de maio de 2016

RESENHA - O caminho para Woodbury(Robert Kirkman e Jay Bonansinga)

O caminho para a redenção e a estrada para o inferno. Tudo isso no mesmo lugar: Woodbury.


Lilly Caul é uma jovem que se viu dentro de um apocalipse zumbi. Os mortos andam pela terra e tudo o que ela tenta é encontrar alguém que a ajude a sobreviver neste mundo caótico. Contudo, suas tentativas sempre parecem ser frustradas pelo destino.


Um grupo de uma centena de pessoas se aglomera em um vale rodeado por árvores frutífera e erigem uma pequena sociedade das tendas ao redor de um enorme picadeiro velho, onde guardam suprimentos e planejam o futuro da humanidade. Lilly é abençoada com a promessa de uma vida nova e segura rodeada de pessoas, e não de mortos-vivos, mas sabe que não será fácil assim.


Lilly conta com a ajuda de amigos, dentre eles o grandalhão Josh Lee Hamilton e a velha amiga Megan Lafferty, do colegial. Todavia, a amizade entre Lilly e Megan sofreu imensas variações desde que tudo começou, e ela sente que hora ou outra tudo irá explodir pelos ares e detonar de vez as duas amigas.


Assim como os pêssegos e outras centenas de frutas que apodrecem nos pomares ao redor da propriedade, a própria comunidade onde Lilly está é como uma fruta passando do ponto: Quanto mais pressionada, mais caldo podre escorre.


“Olhando através da clareira, Lilly fica momentaneamente transfixada por toda a atividade.A área parece um mercado de pulgas repleto de compradores e vendedores, pessoas trocando suprimentos, empilhando lenha e jogando conversa fora. [...]


Uma maré de ódio escuro se eleva em Lilly enquanto ela esquadrinha o alvoroço do pequeno assentamento. Ela vê as crianças brincando… e os pais trabalhando para fazer o lugar dar certo… todos eles são comida de zumbi… e de repente Lilly tem uma pontada de clareza… um choque de realidade.


Ela vê claramente que essas pessoas estão condenadas. Esse grande plano para construir uma cidade de tendas nos campos da Geórgia não vai dar certo.”


E Lilly estava realmente certa. Despreparadas, as pessoas deste acampamento que mais parecia uma lavanderia dos subúrbios, não conseguiram suportar a ameaça dos errantes por muito tempo e pouco a pouco o acampamento foi sendo desmantelado, corroído de dentro para fora. Não eram mais os zumbis a ameaça que tanto preocupava Lilly, mas sim as próprias pessoas.
Em um fatídico dia, tudo muda naquelas redondezas, e Lilly acaba se vendo fora do acampamento, acompanhada de Josh, Megan, Scott, um jovem perdido nas drogas que se afeiçoava por Megan, e Bob Stookey, um ex integrante do Corpo Médico dos Fuzileiros Navais dos Estados Unidos. Expulsos da comunidade, têm de viver por algum tempo no “mundo lá fora”, onde não há cercas nem muros, muito menos comida e água potável transbordando a cada esquina.
Sorte ou azar, acabam deparando-se com a pequena comunidade de Woodbury, mais precisamente com um dos grupos de reconhecimentos enviados por eles.
É neste momento que a história realmente engrena. Conhecemos o famoso Governador, Philip Blake, travestido na figura de um louco autoritarista, que mantém sua “filha” Penny Blake, agora padecendo da mesma forma que os outros mortos-vivos, presa em seu apartamento por correntes.
Se o primeiro livro revelava um Governador no início de sua ascensão, “O caminho para Woodbury” já retrata Philip tendo diversos subordinados dentro de Woodbury, e Jay Bonansinga aprofunda o leitor ainda mais na mente do vilão. Até então, somente conhecíamos Woodbury através do que nos foi mostrado na série de TV “The Walking Dead”, e não sabíamos o que acontecia antes de o grupo do Rick chegar.
Todavia, o destino de Lilly Caul não era um mar de rosas, e em Woodbury não foi diferente. Ela encara na pele os perigos daquela comunidade também fadada à destruição, com um governante que mais parecia o Coringa, vilão do Batman, e um grupo de pessoas amedrontadas e neuróticas com o confinamento.
Lilly sente que precisa fazer algo, e precisa ser rápida. Vê o mundo desabando pedaço por pedaço à sua volta e teme ter se tornado impotente. Sente que precisa curar Woodbury da ferida que corrói sua estabilidade: O Governador.
O livro é curto, de rápida leitura e inova por mostrar um lado da cidade de Woodbury que os fãs ainda não haviam visto. É interessante ver como Jay Bonansinga está construindo o Governador passo a passo, e mesmo que ele não seja o personagem principal de “O Caminho para Woodbury”, rouba a cena em todos os momentos. Lilly também é uma excelente sobrevivente, e conseguimos ver sua evolução ao longo do livro. Jay consegue fazer com que soframos junto a ela, e a cada página lida, a sensação de que algo ruim está por acontecer aumenta.
O final é um cliff hanger(gancho) para o próximo livro, mas finaliza o arco criado nesta história de forma muito satisfatória, agradando tanto o fã de The Walking Dead quanto um leitor ocasional que está acompanhando a Quadrilogia do Governador.
E se aprofunda cada vez mais na mente diabólica de Philip Blake…

Ou seria Brian?

por André Luiz
no Skoob, http://www.skoob.com.br/usuario/1313438)





DADOS DO LIVRO(SKOOB)

O Caminho para Woodbury
The Walking Dead - Livro 2




ISBN-13: 9788501401878
ISBN-10: 8501401870
Ano: 2013 / Páginas: 336
Idioma: português 
Editora: Galera Record
Autor: Jay Bonansinga(Foto)