Páginas

Pesquisar este blog

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Crônica - Os demônios de nós mesmos




Não sei se você também se sente assim, mas, às vezes, apenas me sinto como se a escuridão que existe dentro de mim me abraçasse, querendo se aquecer, deixar de ser como ela é, fria, desesperada, ansiosa e furiosa. Por muito tempo, achei que ela tentasse me levar para o lado dela, me deixar pra baixo, me enlouquecer, tirar o prazer do meu dia e da minha vida, me deixar tão chateado a ponto de não conseguir sair da cama, a ponto de me transformar em um ser...um ser... um ser perfeitamente igual a ela.
Por anos eu dei nomes a ela, nomes de outras pessoas, de coisas que aconteciam na minha vida, e até mesmo, por um momento, achei que existisse um exército delas correndo atrás de mim, mas quando cocei meus olhos e desembacei minha visão, percebi que, na verdade, era sempre a mesma, refletida em outras pessoas e coisas, convidando suas parentes, que habitam em outros, para também me abraçar.
Mas não, não é bem isso.
Então, olhe para o fundo dos olhos deles, veja a alma deles, e os abrace bem forte, mas bem forte mesmo! Tão forte que ao invés de eles te influenciarem com as coisas ruim que nos falam e nos mostram, você consiga influenciar a eles, mostrar o lado bom da vida, que apesar de todos os pesares, sinas e lidas que passamos, estamos passando e passaremos enquanto vivos, temos um motivo para respirar e continuar apanhando e lutando. Seja por nossa fé, família, amigos, familiares, nossos sonhos, desejos, ambições, pensamentos, a guerrilha da qual fazemos parte e por nós mesmos, nós nos manteremos fortes na luta, nós nos manteremos erguidos, de pé, e continuaremos vivendo e levando essa verdade a cada um de nossos conhecidos, propagando aquilo do qual somos fontes, amando e fazendo o bem, influenciando cada vez mais com bondade, generosidade e compaixão.
Esses pequenos demônios que habitam em cada um de nós, as fontes de toda tristeza, não quer que sejamos iguais a eles, são eles que querem ser igual a nós. Somos fonte de energia, de coisas boas, de alegria, compaixão, empatia, amor, carinho, palavras boas, força, perseverança e fé, e eles nos invejam amargamente por causa disso. Eles estão desesperados, com medo de si mesmos e por isso correm para nos abraçar e nos mostram e falam de coisas tão ruins e que nos deixam tão para baixo.
Você já abraçou seu demônio hoje?


("Renato Traspadini")