Páginas

Pesquisar este blog

quinta-feira, 2 de maio de 2013

A emboscada

       *Baseado no conto "O mistério do homem de preto" de Luiz  Lanzieri

       Era um dia normal quando fui chamado para desvendar mais um mistério.
 
  Ao chegar na pacata cidadezinha de Palhoças, fui direto à delegacia para conseguir informações sobre o caso.
    Durante semanas entrevistei inúmeros moradores, fiz diversas reconstituições do crime, procurei por pistas na antiga casa dos Smith... Mas não conseguir achar nada. Isso era frustrante.
    Até que um dia recebi um telefonema do prefeito que me chamava para almoçar em sua casa. Como estava atarefado ao extremo, recusei o convite, mas o prefeito não deu-se satisfeito. Inventava desculpas insistentes para visitá-lo. Cansado de negar, acabei aceitando o convite.
     Quem me dera ter pensado mais ao ponto de fazê-lo desistir do convite. O que me esperava em sua casa não era um almoça habitual.
    A cidade, prestes a falir, se encontrava em um país que estava em uma profunda crise econômica. Foram feitos inúmeros cortes em investimentos públicos municipais. Um deles era na alimentação. Para evitar os gastos com a importação da carne bovina e suína, o prefeito havia contratado um açougueiro que era adepto às práticas antropofágicas, e este matava a todos os que ameaçavam a carreira do político. A carne era vendida normalmente e a população, enganada, fazia o seu consumo.
    Sobre a mesa havia um forro, que um dia já fora totalmente branco, e por cima do forro haviam cadáveres. Sim! Cadáveres! Inúmeros braços (já separados dos corpos) se encontravam dentro de travessas, cobertos por um molho de carne e batatas cozidas. Uma visão horrenda e inimaginável, saída diretamente de seus piores pesadelos ou do filme de terror mais assustador.
    Somente quando o açougueiro entrou no aposento portando um machado afiado que me dei conta do fato. Eu não havia sido convidado para o almoço. Eu era o almoço!
    Corri o quanto pude e enfrentei obstáculos, mas consegui sair daquele circo de carnificinas. Na mesma hora me prontifiquei em abandonar aquela cidade o quanto antes, deixando para trás um caso que nunca fora revelado devido aos sumiços inesperados de todos os detetives que foram contratados. 

("Jéssica Stewart")