Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de maio de 2013

O brilho da neve


            Era uma vez uma pequena criança, linda como a neve, de nome Eva. Era a garota caçula de três irmãos e sempre se mostrou a mais corajosa de todas.
            Certo dia, ao passear pela floresta que circundava sua humilde casinha, deparou-se com enormes pegadas distribuídas como as de um humano, porém do tamanho de um bisão. Resolveu investigá-las, e passando mais algumas horas dentro da nevada floresta, acabou por encontrar uma enorme abertura negra na montanha branca, coberta de neve. Apesar de esta aparentar ser medonha, a garota prosseguiu seu caminho atrás das pegadas estranhas cravadas na neve.
            A caverna era um espaço vazio, oco, que não exibia um só raio de luz. No início, suas paredes pareciam esculpidas à mão, mas conforme o caminho foi escurecendo, Eva começava a tatear uma superfície inconstante, gélida e áspera. Horas depois, não via sinal de um fim do minúsculo caminho, e as voltas que ela achou ter percorrido. Aquele lugar parecia um labirinto sem fim.
            Finalmente, chegou a uma sala muito mal iluminada, com luzes bruxuleantes vindas de velas macabras. Ao centro, uma mesa comportava um par de chifres enormes e negros como a própria escuridão. Também se podia ouvir uma respiração pesada e ofegante que parecia emanar calor para todo o ambiente.
            De repente,dois olhos cor de âmbar surgiram da escuridão e uniram-se aos chifres,que avançaram para cima de Eva. Esperta, conseguiu se desviar do golpe, e o monstro flutuante ficou com os chifres presos na rocha. Misteriosamente, surgiu ao lado da menina uma longa espada, e Eva não hesitou em se defender: Com um golpe certeiro, acabou decepando a cabeça do monstro, que rolou e se desfez em cinzas.
           Assustada e atordoada, resolveu correr para longe dali, mas ao virar-se, uma brasa acendeu-se no local onde ficaria a cabeça do touro - que também ficou na posição de um cavalo e criou duas novas pernas e patas. A garota soltou um grito de pavor e desabou em lágrimas.
            Naquele momento, um raio de sol brilhou fortemente e atingiu exatamente no centro do rosto de Eva. Dizem que a neve brilha com os raios de sol, e Eva naquele momento começou a emitir uma luz intensa e ofuscante. O novo monstro que se formara ficou amedrontado e parecia ferir-se com a luz, por isso saiu galopando da sala.
            Eva agora estava salva, e voltou cantarolando para sua casa,pois agora possuía mais uma heroica história para contar.


("Walter Crick")