Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Valentine #4

    
     - Santa Bárbara, Califórnia, dias atuais
   - Você tem certeza disso Ana? - Perguntou-me Fernanda.
   Não. Eu não sabia se queria vê-lo. Já se passaram muitos anos desde a última vez em que nos encontramos. Não sabia o que esperar desse reencontro, muito menos o quanto isso afetaria minha vida. Havia muitas coisas em jogo... Minha família, meu casamento, meu bebê... Queria somente fugir dali, como uma criança indefesa, mas não poderia deixar minha imaturidade afetar minha vida novamente. Por isso coloquei toda a autoconfiança que ainda restava em mim para fora. Respirei fundo. 
   - Sim.
   - Então.. Hum - Ela Hesitou
   - Fernanda, eu não posso mais adiar isso.
   - Tá bom... Apesar de que eu ainda não concordo com...
   - Ah! Pelo amor! Lá vem você de novo! Me dá logo essa credencial! - Exagerei, levantando a voz.
   - Obrigada pela calma. Agora sim eu sei que você não deve aparecer lá. - Disse ela convencida, virando as costas para ir embora.
   - Não! Fê - ela virou e me fitou, esperando uma resposta - me desculpa... eu estou um pouco chocada e surpresa... mas estou sob controle.
   - É. Percebe-se. - Disse irônica
   - É sério Fê. É importante.  
   - Olha - falou enquanto vinha em minha direção - Tenho plena consciência de que eu estraguei tudo da última vez. Então, boa sorte e vê se consegue agir com essa sua cabeça funcionando bem, pelo menos uma vez na vida, e lembre-se que você tem um marido que te ama e uma filhinha linda. - E me deu a credencial que me daria acesso à coletiva de imprensa que aconteceria antes do show. 
   Fernanda é repórter de uma revista local, de pouca influência. Seu sonho era conseguir chegar a um telejornal da BBC como âncora, mas sabia que ela estava me ajudando com a intenção de que o Davi interferisse por ela, e enfim realizá-lo. Não me importei com suas intenções ou o que quer que seja. Eu precisava vê-lo. Tinha um pedido de desculpas a fazer e assim, quem sabe, teria paz no meu coração.
   - Eu tenho que ir Ana, foi um prazer te ver hoje - Disse ela se despedindo.
   - Fica mais um pouco - Insisti.
   - Não posso... eu tenho um compromisso.
   - Compromisso? Oh! Entendi! Qual é o nome dele, hein?
   - É... Roger - E abriu um sorriso constrangida;
   - Hm. De qualquer forma, obrigada. Volte sempre!
   E saiu pela porta.
   Não  me importei com o clima de mistério transmitido por ela. Tinha o direito de ter seus segredos de vez em quando.
   Peguei Júlia no colo e fui dar mamadeira a ela, no mesmo instante ela abriu um sorriso banguela que fiz minha vida valer a pena.
                                                                                  
("Jéssica Stewart")