Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

MINICONTO - Pavão

     Lentamente, as penas do pavão foram se abrindo, revelando um esquema de cores ímpar e uma geometria natural que nenhum outro animal teve coragem de copiar. Quando Deus criou os animais, certamente estava inspirado ao desenhar o rabo do pavão. O pássaro andava em passos curtos de um lado para o outro, agitando suas penas e criando uma armadilha visual de cores e brilhos que fisgava a fêmea pouco-a-pouco. Branca como leite, de penugens alvas e um rabo pouco volumoso, de tons acinzentados, estava estonteada pela beleza arrebatadora do macho.
       - Belíssimo! Bravo! - A senhora tirou os óculos escuros e apontou para o suntuoso animal que se agitava em sua frente. 
         Abateram-no ali mesmo, depois, fizeram da cauda do pavão um belíssimo enfeite para a sala principal da mansão da madame, para que todos que olhassem para aquele conjunto de cores e brilhos se lembrassem de como a natureza é perfeita.